vinte perguntas feitas a uma escritora.

/ janeiro 15, 2020
           Então, esta publicação é bem aleatória porque é uma tag que eu criei para quem é escritor (publicado ou não) para poderem falar um pouquinho mais do que escrevem e como escrevem. Acho que fiz perguntas muito pertinentes e diversas para poderem conhecer melhor todo este processo de escrita que, pelo menos a mim, causa dores de cabeça (boas e más). Acho que cobri bem as bases, mas se tiverem mais perguntas podem deixar abaixo e podem até fazer aos vossos escritores favoritos se tiverem essa possibilidade. 

1. Há quanto tempo é que escreves?

           Desde sempre escrevi e tive muita imaginação. Escrever a sério com o objetivo de levar as pessoas para outro lugar, foi só há 10, 11 anos.

2. Em que sítio gostas de escrever?

           Se for algo que tenho planeado exatamente como quero que aconteça, ou seja uma obra, normalmente é no escritório porque tenho os apontamentos comigo. Quando são textos aleatórios, é em qualquer lado que venha a inspiração - é só pegar no telemóvel e escrever.

3. Qual é o teu género favorito para escrever?

           Romance e ficção.

4. Onde ou como costumas ter mais ideias para escreveres?

           Normalmente as ideias vêem ter comigo nos meus sonhos ou quando estou a tomar banho. Juro que tenho imensas livros e contos para escrever que são saídos dos meus sonhos ou de longos pensamentos nas sessões de banho. 

5. Escrever mais em computador ou à mão?

           Consigo escrever com mais facilidade no computador só porque sou muito mais rápida e como a minha linha de raciocínio é muito rápido, preciso que a minha escrita acompanhe a minha cabeça.

6. Costumas ter bloqueios criativos? Se sim, como os ultrapassas?

           Já tive mais, mas o truque para ultrapassar é mesmo perceber porque é que não consegues escrever. A razão, muitas das vezes, não é falta de inspiração ou não saberes o que escreveres, é algo no teu consciente ou inconsciente que te prende. O truque para não ter bloqueios criativos é mesmo não passar longas temporadas sem escrever - nem que seja descrever o sol, escrever todos os dias ajuda. 

7. Que snacks e bebidas tomas enquanto escreves?

           Normalmente só trago comigo cappuccino ou água, comida tento não trazer porque, na minha cabeça, vou-me distrair com ela. 

8. Que tipo de música ouves enquanto escreves?

           Depende muito do que estou a escrever. Vai muito com aquilo que a música me transmite e se estiver a escrever algo triste, ouço algo triste; se for algo feliz, é algo feliz.

9. Tens alguma rotina de escrita? Se sim, qual é?

           Estou a tentar criar uma porque dizem que rotinas são boas para habituar o cérebro a preparar-se para se concentrar numa tarefa. Para já, não tenho.

10. Que personagem tua gostavas de ser?

           Muito honestamente, tenho duas personagens. Gostava de ser a Emma Reed (Evanescente) só porque ela é uma autora com muito sucesso e gostava de ser a Dafne Morgan (Persona) porque ela vai ser uma mulher poderosa e forte no futuro da história.

11. Em que obra tua gostarias de viver? 

           Ainda não está escrita, mas tenho uma história que é sobre poderes mágicos e todo o mundo da fantasia. Adorava ter poderes mágicos.

12. Qual é o(a) teu/tua escritor(a) favorito(a)?

           Esta pergunta é muito complicada para mim porque sinto que não dar esse título a alguém de quem só li um livro?! Ainda assim, vou dizer que é quase dos meus favoritos o Mark Manson pela maneira como ele consegue dizer o que uma pessoa já sabe, mas de uma forma diferente e pela maneira como consegue captar atenção do leitor.

13. NaNoWriMo é um sim ou um não?

           Para mim é um sim porque ajuda a ter o primeiro rascunho de uma obra. Mesmo que eu seja muito má a cumprí-lo.

14. Escreves espontaneamente ou planeias como queres que o livro se desenvolva?

           Tenho de planear, o meu ser não me permite ser espontânea. Aliás, a prova disso é que tenho um caderno direcionado só para conteúdos de criação de histórias

15. Qual é a tua maior distração enquanto escreves?

           Para além da minha gata que tem sempre de andar de um lado para o outro no meu escritório, a internet e o telemóvel. Às vezes, os meus próprios sentimentos metem-se no caminho porque começo a chorar ou acabo por ter ideias para outras coisas.

16. Gostas de escrever coisas entre-as-linhas ou gostas de ser direto(a) com a tua escrita?

           Os dois. No entanto, o meu favorito é mesmo escrever coisas que não estão diretas nas palavras. Criar imagens inconscientes na mente de alguém é tão bom quando as percebem, deixa-me feliz porque acabam por mostrar que estão mesmo interessados na escrita.

17. Já tens alguma coisa publicada (seja online, seja fisicamente)?

           Sim, além de estar online no Wattpad, tenho um livro físico chamado Evanescente.

18. Qual foi a primeira coisa que te lembras de escrever?

           Textos sobre os meus sentimentos e fanfictions sobre a Selena, a Demi, a Miley e os Jonas Brothers. Eu sei, muito óbvio.

19. Se pudesses ter um superpoder qualquer ou se pudesse inventar um, qual seria?

           Eu queria poder tornar as minhas ideias em realidade porque há dias que é tão difícil conseguir concretizá-las.

20. Porque é que escreves?

           Eu escrevo porque é um alívio para mim conseguir por em palavras o que sinto, o que penso e o que quero que as outras pessoas sintam. Tudo o que escrevo, desde textos a obras, tem tudo uma razão para existirem. Acho que a escrita consegue unir pessoas, de certa forma. E há pessoas que não conseguem expressar os seus sentimentos verbalmente e escrevem, e também há pessoas que não conseguem expressar os seus sentimentos e encontram o que querem dizer nas palavras de outras pessoas e acho incrível quando isso acontece. Eu tenho gente que me disse que descrevi-a exatamente o que estavam a sentir e que já não se sentiam sozinhos, ou pessoas a dizerem que as pus a chorar com as minhas palavras. E eu adoro essa transmissão de sentimento que a escrita permite ter. 

           Estou mesmo entusiasmada com esta tag ou com este desafio de perguntas. Qualquer um pode responder às mesmas, mas neste momento vou mencionar a Angie do blog The Little Angie, a Vera Carvalho do blog A Poesia Para Ti, a Catarina Magalhães do Wattpad. Espero que se divirtam a fazer a tag se tiverem a possibilidade.

           Espero que também tenham gostado de terem conhecido mais um bocadinho desta coisa toda de escrever.
Até já, 

           Então, esta publicação é bem aleatória porque é uma tag que eu criei para quem é escritor (publicado ou não) para poderem falar um pouquinho mais do que escrevem e como escrevem. Acho que fiz perguntas muito pertinentes e diversas para poderem conhecer melhor todo este processo de escrita que, pelo menos a mim, causa dores de cabeça (boas e más). Acho que cobri bem as bases, mas se tiverem mais perguntas podem deixar abaixo e podem até fazer aos vossos escritores favoritos se tiverem essa possibilidade. 

1. Há quanto tempo é que escreves?

           Desde sempre escrevi e tive muita imaginação. Escrever a sério com o objetivo de levar as pessoas para outro lugar, foi só há 10, 11 anos.

2. Em que sítio gostas de escrever?

           Se for algo que tenho planeado exatamente como quero que aconteça, ou seja uma obra, normalmente é no escritório porque tenho os apontamentos comigo. Quando são textos aleatórios, é em qualquer lado que venha a inspiração - é só pegar no telemóvel e escrever.

3. Qual é o teu género favorito para escrever?

           Romance e ficção.

4. Onde ou como costumas ter mais ideias para escreveres?

           Normalmente as ideias vêem ter comigo nos meus sonhos ou quando estou a tomar banho. Juro que tenho imensas livros e contos para escrever que são saídos dos meus sonhos ou de longos pensamentos nas sessões de banho. 

5. Escrever mais em computador ou à mão?

           Consigo escrever com mais facilidade no computador só porque sou muito mais rápida e como a minha linha de raciocínio é muito rápido, preciso que a minha escrita acompanhe a minha cabeça.

6. Costumas ter bloqueios criativos? Se sim, como os ultrapassas?

           Já tive mais, mas o truque para ultrapassar é mesmo perceber porque é que não consegues escrever. A razão, muitas das vezes, não é falta de inspiração ou não saberes o que escreveres, é algo no teu consciente ou inconsciente que te prende. O truque para não ter bloqueios criativos é mesmo não passar longas temporadas sem escrever - nem que seja descrever o sol, escrever todos os dias ajuda. 

7. Que snacks e bebidas tomas enquanto escreves?

           Normalmente só trago comigo cappuccino ou água, comida tento não trazer porque, na minha cabeça, vou-me distrair com ela. 

8. Que tipo de música ouves enquanto escreves?

           Depende muito do que estou a escrever. Vai muito com aquilo que a música me transmite e se estiver a escrever algo triste, ouço algo triste; se for algo feliz, é algo feliz.

9. Tens alguma rotina de escrita? Se sim, qual é?

           Estou a tentar criar uma porque dizem que rotinas são boas para habituar o cérebro a preparar-se para se concentrar numa tarefa. Para já, não tenho.

10. Que personagem tua gostavas de ser?

           Muito honestamente, tenho duas personagens. Gostava de ser a Emma Reed (Evanescente) só porque ela é uma autora com muito sucesso e gostava de ser a Dafne Morgan (Persona) porque ela vai ser uma mulher poderosa e forte no futuro da história.

11. Em que obra tua gostarias de viver? 

           Ainda não está escrita, mas tenho uma história que é sobre poderes mágicos e todo o mundo da fantasia. Adorava ter poderes mágicos.

12. Qual é o(a) teu/tua escritor(a) favorito(a)?

           Esta pergunta é muito complicada para mim porque sinto que não dar esse título a alguém de quem só li um livro?! Ainda assim, vou dizer que é quase dos meus favoritos o Mark Manson pela maneira como ele consegue dizer o que uma pessoa já sabe, mas de uma forma diferente e pela maneira como consegue captar atenção do leitor.

13. NaNoWriMo é um sim ou um não?

           Para mim é um sim porque ajuda a ter o primeiro rascunho de uma obra. Mesmo que eu seja muito má a cumprí-lo.

14. Escreves espontaneamente ou planeias como queres que o livro se desenvolva?

           Tenho de planear, o meu ser não me permite ser espontânea. Aliás, a prova disso é que tenho um caderno direcionado só para conteúdos de criação de histórias

15. Qual é a tua maior distração enquanto escreves?

           Para além da minha gata que tem sempre de andar de um lado para o outro no meu escritório, a internet e o telemóvel. Às vezes, os meus próprios sentimentos metem-se no caminho porque começo a chorar ou acabo por ter ideias para outras coisas.

16. Gostas de escrever coisas entre-as-linhas ou gostas de ser direto(a) com a tua escrita?

           Os dois. No entanto, o meu favorito é mesmo escrever coisas que não estão diretas nas palavras. Criar imagens inconscientes na mente de alguém é tão bom quando as percebem, deixa-me feliz porque acabam por mostrar que estão mesmo interessados na escrita.

17. Já tens alguma coisa publicada (seja online, seja fisicamente)?

           Sim, além de estar online no Wattpad, tenho um livro físico chamado Evanescente.

18. Qual foi a primeira coisa que te lembras de escrever?

           Textos sobre os meus sentimentos e fanfictions sobre a Selena, a Demi, a Miley e os Jonas Brothers. Eu sei, muito óbvio.

19. Se pudesses ter um superpoder qualquer ou se pudesse inventar um, qual seria?

           Eu queria poder tornar as minhas ideias em realidade porque há dias que é tão difícil conseguir concretizá-las.

20. Porque é que escreves?

           Eu escrevo porque é um alívio para mim conseguir por em palavras o que sinto, o que penso e o que quero que as outras pessoas sintam. Tudo o que escrevo, desde textos a obras, tem tudo uma razão para existirem. Acho que a escrita consegue unir pessoas, de certa forma. E há pessoas que não conseguem expressar os seus sentimentos verbalmente e escrevem, e também há pessoas que não conseguem expressar os seus sentimentos e encontram o que querem dizer nas palavras de outras pessoas e acho incrível quando isso acontece. Eu tenho gente que me disse que descrevi-a exatamente o que estavam a sentir e que já não se sentiam sozinhos, ou pessoas a dizerem que as pus a chorar com as minhas palavras. E eu adoro essa transmissão de sentimento que a escrita permite ter. 

           Estou mesmo entusiasmada com esta tag ou com este desafio de perguntas. Qualquer um pode responder às mesmas, mas neste momento vou mencionar a Angie do blog The Little Angie, a Vera Carvalho do blog A Poesia Para Ti, a Catarina Magalhães do Wattpad. Espero que se divirtam a fazer a tag se tiverem a possibilidade.

           Espero que também tenham gostado de terem conhecido mais um bocadinho desta coisa toda de escrever.
Até já, 

Continue Reading
         Com o início de 2020 vem a vontade de planear o ano para conseguir chegar aos nossos objetivos. Como sempre (apesar de esquecer-me de mostrar por inteiro), planeei e criei o meu bullet journal para este novo ano. Fiz um pequeno twist desta vez e criei mais páginas direcionadas para as minhas ambições a nível pessoal e profissional.

O Bullet Journal De 2018.

          Eu comecei a perceber que não usava o bullet journal só para me organizar - e é óbvio que o propósito é esse, mas a questão deste método é que tu fazes o que queres, como queres. Então, decidi criar mais páginas dedicadas aos meus objetivos de forma a melhorar a minha performance para os atingir. Apesar de não ter publicado como fiz em 2019 e apesar de ser bastante mais direcionado para objetivos, não era exatamente como eu queria.
          O começo é bastante simples, só tem a dizer o ano e uma frase que gosto muito que meia que a inventei. "Acredita e vai acontecer". É a frase que quero usar para descrever o ano e para me inspirar quando me sentir mal. Comecei adotar esta vibe de "identifica o teu ano" porque, muito honestamente, estes últimos anos não consigo descrever o meu ano além da palavra "caótico".
          Vocês vão poder reparar, se ainda não notaram, que o meu bullet journal tem muitas frases motivadoras para não me esquecer que mesmo que as coisas fiquem más, tenho de continuar.
Do lado esquerdo tem a frase "mesmo quando te fazem duvidar, lembra-te do porquê." com recortes de letras das revistas. Devo dizer que foi a página que deu mais trabalho só para conseguir encontrar as letras corretas e do tamanho certo.
Do lado direito tem um calendário do ano de 2020 para poder ver quais são os feriados e poder ver o ano inteiro de uma só vez. Mais para a frente vou fazer um artigo sobre como pretendo organizar-me neste novo ano visto que decidi mudar imensas coisas para que possa ser mais prática.
          Estas duas páginas já tinha incluído em 2019 e achei-as muito pertinentes pelo facto de a primeira ser uma reflexão do ano anterior e a segunda ser aquilo que espero fazer no ano atual. É uma maneira muito simples de fazer um balanço e perceber o que quero melhorar, onde falhei e o que ainda quero manter do ano anterior.

Os Meus Objetivos De 2020.

          Não é estranho a ninguém que me segue que a lista de 101 desejos em 1001 dias me segue para onde quer que eu vá e até me ajuda a espaçar os meus objetivos pelos meses para que consiga concretizar todos os 101 desejos. Desde que criei a lista já preenchi 14 desejos e ainda tenho até a Abril de 2021 para o resto. É óbvio que desde então que há coisas que já não tenho tanta vontade de ter, mas é sempre bom perceber o quanto tu mudas em 2 anos. 

101 Desejos em 1001 Dias.

          Muito raramente me lembrava de quando trocava de lentes, quando limpava o carro ou os pincéis de maquilhagem e quando trocava de caixa das lentes, então decidi criar esta página para me ajudar a manter-me a par disso. Ainda só tenho estas quatro coisas aqui porque são as principais.
          Esta é uma das minhas páginas favoritas e não tomo muita atenção a ela, infelizmente. Basicamente, chama-se Nível Dez da Vida e consiste em perceber onde estás a todos os níveis da tua vida. Há níveis que estás melhor, outros estás super mal, e o objetivo é criar um plano para melhorar esses níveis e chegar ao nível 10 de satisfação. Novamente, criei isto em 2019 e desde então alguns objetivos mudaram totalmente, ainda assim, ajuda bastante para perceber o que é que está mal e o que queres melhorar.
          Eu costumava fazer um rastreador de hábitos a cada mês e tornava-se um pouco cansativo porque eu não era nada prática com isso. Ora, decidi introduzir um rastreador baseado numa dutch door (que são aquelas páginas que cortei para criar "espaço extra" de forma a não teres de usar uma página diferente. Desta maneira, consegues ver tudo nas mesmas duas páginas, invés de estar a passar para a seguinte.
          Ora, os hábitos que decidi seguir-me foram journaling, blog seja escrever ou publicar, exercício físico, água, alemão e francês, escrever e ler. Novamente, como não era prática na criação disto, fazia uma lista enorme de coisas que precisava de fazer e não era nada sustentável por isso foquei-me nestes apenas.
          Estas páginas são dedicadas ao facto de eu querer melhorar o meu alemão e de querer aprender francês. Eu achava que devia forcar-me só numa língua, mas vejo gente aprender tipo 12 línguas ao mesmo tempo então deixei de ver que há mal em querer duas. Decidi dividir as páginas em 3 e escrever os o porquê de querer aprender as línguas, os recursos que posso usar e os objetivos que tenho com a aprendizagem das mesmas. No final coloquei um post-it para escrever o horário, mas não sei ainda se vou definir um horário específico.

          Estas duas folhas são bastante explicativas por si mesmas. São para fazer uma chuva de ideias do que falar no blog e no podcast. SIM! EU TENHO UM PODCAST! Foi algo muito recente e amanhã vai sair o episódio 1! Podem sempre dar dicas do que deva falar, tanto no blog como no podcast, eu estou sempre à procura de coisas novas para publicar.

Podcast Cresce e Aparece no Anhor

          Decidi criar uma tabela para as redes sociais e acompanhar o crescimento das mesmas, juntamente com as visualizações do blog e as escutas do podcast. No final de cada mês meto o valor que tenho em tudo tento ver se as medidas de implementação que estou a criar para crescer se estão a resultar ou não. Na página seguinte é para criar uma lista de coisas que posso melhorar a nível de criação de conteúdo ou de estratégias. Achei giro fazer para poder estar a par do que posso fazer. 
          Da mesma maneira que criei aquelas páginas para as línguas que quero aprender, criei esta página de Fitness para me ajudar a medir onde estou e o porquê de querer juntar-me a esta jornada. Logo a seguir coloquei as coisas que já consegui fazer e superar para também me dar motivação para qualquer objetivo que eu queira concretizar, especial este da saúde que é um pouco difícil para mim. 
          Aqui decidi fazer um plano de três anos depois de ter visto um vídeo da Kalyn Nicholson onde ela falou sobre o seu plano e como o construiu e eu achei "porque é que não faço um também?". Os meus objetivos nunca foram direcionados para serem desconstruidos e talvez seja por isso que alguns tenham falhado. Então decidi fazer este plano e a ideia para o primeiro ano é desconstruir por cada mês do ano o que queres fazer. Acho uma ótima ideia para te dar uma visão geral do que podes fazer para chegares ao teu sonho. 
          Estas nove páginas seguintes foram inspiradas na Alivia D'Andrea e no seu Glow Up Diary. São páginas para te relembrares de como vais estar depois de conseguires ser segura de ti mesma, consistente com os teus hábitos e persistente quando as coisas falham.
Estas primeiras páginas são basicamente para descrever como seria a minha vida perfeita, a minha vida de sonho. A primeira é um círculo da vida em que envolve coisas positivas e que se as fizer e tiver em conta na minha vida, vai causar mais felicidade e estabilidade emocional. 
          A segunda, terceira e quarta página são questões para responder como se já estivesses na tua vida de sonho e como é que te sentirias. A maneira que pensei em responder a estas perguntas foi mesmo responder no presente como se já estivesse a viver aquela vida. Basicamente as perguntas são:
1. Quais são os sentimentos sobre a vida? 2. O que é que ela faz? 3. Como se sente quando se olha ao espelho? 4. Que hábitos tem? 5. O que é que ela come? 6. Como é o seu físico? 7. Quem a rodeia? 8. Como é a sua ética de trabalho? 9. Como é o seu estilo de roupa? 10. Como é que ela responde aos que a rodeiam?
          Estas duas páginas são para te mostrar onde estás e como podes chegar onde queres estar. Basicamente escrevi a situação atual - como estou emocionalmente, mentalmente e fisicamente, e onde quero estar. A página seguinte é sobre o que preciso de fazer para conseguir chegar onde quero: para chegar aos objetivos que quero preciso de criar hábitos que requerem disciplina e equilíbrio. 
          Esta é a rotina matinal e de noite que eu adorava ter num dia perfeito. Não há muito que explicar aí. A outra página é sobre os hábitos que preciso de mudar para conseguir ser melhor. Numa coluna tem os hábitos antigos e os hábitos novos que preciso de criar. Em baixo tem uma lista de coisas que posso fazer quando sentir pena de mim e quando me sentir mal e que preciso de voltar aos hábitos antigos para me "castigar". 
          Esta página das perguntas é ainda da youtuber que mencionei atrás. Basicamente são perguntas de o que queres fazer e porquê. Essas são logo as duas primeiras perguntas, as seguintes são "O que é que te impede" e "como é que vais fazê-lo". São perguntas que acho muito pertinentes, novamente, relembrar-te do que queres quando estiveres desmotivada.
          A página seguinte (e é bastante óbvio que está incompleta e mal destribuida, peço desculpa), é sobre coisas que eu não consigo controlar e preciso de me lembrar disso todas as vezes que alguém é mau comigo ou recebo um não. Às vezes, não dá mesmo para controlar mesmo que dês o teu melhor. São coisas que acontecem.
          Não há maneira de trabalhar nos teus objetivos sem um pouco de cuidado próprio e sem tomares conta da tua mente, do teu corpo, do teu coração e da tua alma. E é por isso mesmo que fiz esta página com inspiração no Pinterest. Fiz uma lista para cada critério de coisas que posso fazer para me sentir melhor e adorei mesmo o incentivo que dá e as ideias que dá quando não estás a pensar em fazer-te sentir melhor sequer.
          Esta é a folha final e uma das minhas favoritas também! É a página de janeiro e decidi mudar totalmente a maneira como desenho o meu mês. Invés de fazer caixinhas para colocar os eventos ou coisas que precisava de fazer naquele dia, distruibui os números do mês numa linha e fiz duas colunas imaginárias onde de um lado escrevo as coisas pessoais e noutro lado escrevo coisas para o podcast ou blog. No final do mês tento lembrar-me de dar um feedback desta maneira nova!
          Na página seguinte inspirei-me num post que vi no Instagram em que fiz cinco caixas: a primeira são para as minhas três prioridades do mês, a segunda são 3 hábitos a desenvolver, a terceira é uma lista de tarefas gigante para o mês para depois espalhar pelos dias, uma caixa para uma chuva de ideias aleatória e a última é para coisas que preciso de lembrar para o próximo mês. Acho que é algo bem prático e bem giro para me organizar melhor sobre aquilo que quero fazer durante o mês. 

          Então, este é o meu bullet journal deste ano e estou muito feliz com ele. O caderno em si é da Tyger, já agora! Eles fizeram estes cadernos muito giros em várias cores e são pontilhados por apenas 4€ e, devo dizer, que a qualidade deles é incrível. As folhas são muito boas e eu uso caneta de gel e não passa para o outro lado. 

          Espero que tenham gostado e eu sei que pode ter imensos erros de ortografia - peço desculpa, Camões! Por hoje é tudo.

Até já,
 

OLÁ 2020. OLÁ A TODOS!

           Este é a primeira publicação de 2020 e sinto que é um sinal por ter calhado no dia de publicar do blog. As quartas-feiras são um dia especial para mim, não me perguntem porquê. Apenas gosto muito do dia e é exatamente por isso tenho tido este dia como o dia do blog. Ora, hoje trago os meus 20 objetivos para 2020 e talvez consiga trazer o passo-a-passo quando os concluir. Espero bem que consiga cumprir todos até ao final do ano, pelo menos. São 365 dias, são 365 novas tentativas. Então, vamos lá dissecar e explicar o porquê deles.

1. Ler 12 livros.

           Em 2019 consegui ler 10 livros e metade de dois livros (que ainda não acabei). Ora, neste novo ano queria acabar um livro por mês. A maneira que vou tentar arranjar de conseguir chegar lá é ler cerca de 1 capítulo ou 20 páginas por dia. Vou estar atualizar as minhas leituras no Goodreads e conseguem ver, também, na barra lateral do site. 

2. Visitar Paris & Disneyland.

           Estou já há 2 anos a tentar ir a Paris e, consequentemente, à Disneyland. Queria muito ir este ano e só não fui no ano passado porque não havia forma de conciliar as minhas férias com as do meu namorado, e quando dava jeito, eu não tinha o dinheiro. Enfim. Que 2020 me permita ir a Paris!

3. Chegar às 10.000 visualizações por mês.

           Esta meta é um pouco utópica, mas decidi colocar na mesma só pela diversão de me puxar a trabalhar para tal. Sei que vai ser difícil, mas quem sabe se não consigo, não é? Vou criar conteúdo e tentar trazer coisas novas para o blog, fiquem atentos!

4. Fazer o livro chegar à segunda edição.

           Novamente, uma meta um pouco difícil de conseguir, mas espero que seja este ano que consiga chegar à segunda edição e que as pessoas realmente gostem do meu livro. Caso estejam interessados, tenho aqui o prólogo e onde o comprar. Vou tentar implementar dicas dos cursos de marketing que tive e fazer umas magias por aqui e por ali!

5. Meditar três vezes por semana.

           Passei cerca de uma semana a meditar todos os dias este ano. Pode parecer muito pouco para ter feito qualquer efeito, mas a verdade é que fez mesmo! Eu sentia-me mais leve e livre de pensamentos negativos e exaustivos. Óbvio que os números de vezes que estou a dar são só para ter uma base para começar; tudo o que vier depois, é um bónus muito bem-vindo.

6. Fazer exercício 2 vezes por semana.

           Gostava de me focar mais na minha saúde e bem-estar. Sei perfeitamente que quando me exercito que me sinto bem melhor depois e com mais energia e motivação para a vida, ainda porque deixo de ter tantas dores no corpo e durmo um pouquinho melhor. Queria começar com duas vezes por semana e, se puder, aumentar quando quiser, sem forçar muito, mas sem estagnar também.

7. Escrever 2 páginas por semana.

           Isto de escrever é não só para desenvolver o hábito de escrita, mas também porque acredito que quanto mais escrevo e exercito esse músculo cerebral, menos bloqueios criativos tenho. Então, decidi que queria escrever, pelo menos, duas páginas no Word por semana. É uma meta que queria muito atingir para tentar acabar a sequela do meu livro e para desenvolver outras ideias que tenho em mente também.

8. Aprender francês.

           Um dos grandes objetivos é mesmo aprender francês e ser quase fluente para poder visitar o meu namorado e não ter de depender dele para me traduzir as coisas ou falar por mim e, para, quem sabe, poder ir viver com ele no próximo ano! Decidi incluir porque desta vez estou mesmo a sério e mais empenhada do que nunca.

9. Melhorar alemão.

           Para quem não sabe, licenciei-me em línguas e a língua que escolhi para aprender foi alemão. As minhas bases são bastante sólidas, eu acho, só que queria melhorá-lo ainda mais e, também, chegar a um nível quase fluente.

10. Escrever mais sobre o que me vai na cabeça. 

           Por outras palavras e mais simplificado: journaling more. Não sei como se diz isso tão consiso em português, por isso teve de sair assim. Tal como a meditação, eu sinto realmente que me ajuda acalmar e a aliviar a tensão que sinto durante o dia. O ideal seria escrever de manhã e à noite, no entanto, sei que é quase impossível. Já só quero escrever, nem que seja só uma frase, todos os dias ou, então, quando estou realmente a precisar de desabafar.

11. Consumir mais revistas e podcasts.

           Acho que uma das fontes de inspiração que me falta são os podcasts e revistas. Recentemente adquiri a revista HAPPY e quero dizer que adoro os artigos que escrever e a maneira como a revista é estruturada. Fiquei curiosa com a revista da PRIMA e da MARIA VAIDOSA porque acho que trazem temas bastante interessantes para o quotidiano. Podcasts também ouço cerca de 3, mas queria alargar o horizonte com outros temas, além de ser só sobre lifestyle. Se tiverem recomendações, por favor, digam-me!

12. Encontrar um bom trabalho.

           Outro grande objetivo deste ano é mesmo encontrar um trabalho com o qual me identifique e com o qual me consiga ver a trabalhar uma vida inteira. Estou agora sem trabalho e espero mesmo conseguir encontrar um que me realize minimamente e que proteja o trabalhador, coisa que os trabalhos que tive não faziam. Enfim.

13. Aprender mais sobre marketing digital.

           Foi em 2019 que percebi que me interessava bastante por marketing digital e toda a área criativa por detrás dele. Fiz duas formações de 25h cada uma e adorei simplesmente voltar a estudar algo que me apaixonava e aprender algo diferente todas as vezes, e o facto de ser tão interativo e prático aumenta o interesse a triplicar. O objetivo era mesmo encontrar um estágio nesta área, se possível, para conseguir aprender mais, mas veremos.

14. Fazer a primeira tatuagem.

           Eu já tinha a data marcada para fazer duas tatuagens, mas tive um problema pessoal que me impossibilitou de concretizar este objetivo no ano passado, mas ainda vou a tempo este ano! Já sei quanto custam e tudo, e onde quero, então é só mesmo marcar o dia e rezar que não desmaie.

15. Comer menos carne e peixe + cozinhar mais.

           Eu consegui reduzir significativamente o consumo de carne, principalmente porque começou a "enjoar-me". Ainda como frango e peru, mas carnes vermelhas já não consigo comer como antigamente. Ainda assim, queria reduzir ainda mais e talvez basear-me numa alimentação com mais verduras e assim.
Queria cozinhar mais: eu sei cozinhar, mas queria ter aquela vontade de ser eu a preparar a minha comida porque, assim, também consigo controlar o que quero comer já que a minha família come imensa carne e é algo que quero evitar. 

16. Criar conteúdo com mais consistência e regularidade.

           E com isto quero dizer que quero publicar duas vezes por semana no blog e uma vez no podcast (vai sair em breve!). Nas redes sociais preciso de planear de maneira totalmente diferente e perceber quais redes sociais preciso.

17. Acabar de escrever ADJACENTE.

           Este objetivo está um pouco relacionado com o escrever mais e não há muito que se diga. Eu só quero ter tempo para articular as minhas ideias e poder dar-lhes vida.

18. Ser operada à miopia/estigmatismo.

           Talvez seja possível concretizar este em junho se os valores ficarem os mesmos. O médico disse que era um procedimento bem simples e rápido. Então estou bem feliz porque significa que vou deixar de usar óculos e lentes, uma coisa que me impedia fazer certas coisas porque incomodava andar sempre de óculos ou sempre de lentes.

19. Aprender linguagem gestual.

           Da mesma maneira que quero aprender francês e melhorar o alemão, sinto que língua gestual seria algo que se devia ensinar na escola para podermos ter um melhor entendimento com todas as pessoas. É uma habilidade que me interesso, da mesma maneira que quero aprender francês.

20. Desenvolver mais gratidão e amor-próprio.

           É algo que eu queria criar o hábito: todos os dias escrever três coisas pelas quais estou grata e desenvolver o amor-próprio. Admito que melhorei bastante nestes dois fatores e estou feliz por tal ter acontecido, mas acho que poderia melhorar ainda mais. 

           Bom, eu sei que escrever objetivos anuais é um pouco fatela, mas adoro ter coisas que quero fazer e sei que quais as quero fazer. Claro que há muitas outras coisas que queria aprender, desenvolver ou criar, mas prefiro manter-me assim com poucas do que tentar fazer muita coisa ao mesmo tempo.
           Contem-me nos comentários quais são as vossas resoluções de 2020 e o que querem fazer, ou se é alguma parecida com as que escrevi.
           Espero, muito honestamente, que 2020 seja um ano de criação e inspiração para vocês!
Até já,

                 O terceiro dia desta série é sobre a simplificação e organização do quarto. Decidi que vou só fazer sobre o quarto e o escritório porque são as únicas duas coisas que "são minhas" e posso organizar e fazer como quero. Cozinha, casa de banho, etc, são tudo espaços partilhados, que não são exclusivamente meus e que funcionam de acordo com outras pessoas além de mim. Neste momento da minha vida não me fazia sentido estar a fazer sobre espaços que nem sequer tenho dicas para dar.

                 O meu quarto, infelizmente, é o lugar mais propício a ter gente a entrar e a sair, o que me causa desconforto se estiver desarrumado. Eu gosto de ter tudo no seu lugar, especialmente porque arrumar deixa-me relaxada (sim, a minha mãe gosta de mim por causa disso). De qualquer maneira, como são sítios que estão facilmente desorganizados e que podem acumular bastante coisas se não estiver atenta, decidi criar uma lista de ações que faço quase mensalmente, ou então semestralmente, sempre que mudo a roupa para a outra estação, pelo menos.

ROUPA & ACESSÓRIOS.

                 1. Retira a roupa e acessórios dos espaços onde estão isto porque é mais fácil para depois organizar e perceberes o que é para ficar ou não ficar. Não te esqueças da roupa interior, cintos, bolsas, brincos, anéis, pulseiras, colares, calçado, bikinis, etc.
                 2. Pega em cada peça e vê se ela te serve, se gostas dela, se a usaste no último ano, se se adequa ao teu estilo atual de roupa, se é possível combinar com outras peças que tens. O cerne da questão aqui é se a peça deve ficar porque a usas e gostas, ou se fica só porque pensas que um dia vais usar ou porque tem um valor sentimental para ti. Caso não queiras ou não precises mais da peça, mete num monte diferente para doar ou vender.
                3. Separa a roupa e os acessórios que queres manter por categorias. Camisas para um lado, calças para outro, casacos noutro, saias e calções noutro, anéis, pulseiras, malas, etc. Se tiveres roupa que precisa de ajustes como cortar algo ou coser, põe de lado para te lembrares que precisa dessas alterações.
              4. Organiza a roupa e acessórios nos lugares corretos. No meu caso, prefiro dobrar as camisolas mais pesadas, as calças, casacos de malha pequenos, t-shirts e calças de desporto, cachecóis, assim como roupa que uso por casa. Dobro verticalmente porque penso que é a melhor forma de conseguir ver o que tenho nas gavetas. Penduro os casacos, camisas, camisolas mais leves, saias e vestidos. Malas grandes estão no armário porque só tenho 2 malas, uma malinha pequenina está pendurada numa porta do armário. Bijuteria está toda organizada e separada através das caixinhas dos chocolates. Podes ter um sistema completamente diferente, para mim desta maneira é como me faz mais sentido.

PRODUTOS & EQUIPAMENTOS DE BELEZA.

                   5. Como a roupa, mete todos os teus itens para fora dos lugares habituais. É a melhor forma de realmente veres tudo aquilo que tens. Isto inclui maquilhagem, produtos para cuidados de cabelo ou pele, vernizes, equipamentos de pele ou cabelo, etc.
                  6. Novamente, vê os artigos que queres manter e responde às seguintes questões: a) usei isto nos últimos 5 meses? b) está estragado ou partido? se sim, dá para reparar? c) traz benefícios para a minha vida? d) tenho mais algum produto com funções similares? Se não usei nos últimos meses, se está partido e não dá para reparar e se não traz benefícios ou já tens algo similar é um redondo adeus. Não precisas disso na tua vida.
                     7. Organiza os que queres manter e tenta arranjar novas formas de os guardares e de os manter por mais tempo. Por exemplo, se és uma pessoa que usa muitos discos desmaquilhantes, procura uma alternativa mais sustentável e duradoura do que aqueles que são descartáveis. Se achas que a tua prancha ou modelador estão a ficar danificados, tenta ter mais cuidado com eles e arranjar solução para isso. Invés de estares a comprar aqueles organizadores todos bonitinhos, podes usar uma caixa de cotonetes ou caixas de presentes para guardar certos produtos. São pequenos truques que te impedem de ter de gastar tempo, trabalho e dinheiro mais tarde.

O QUE FAZER COM OS PRODUTOS QUE NÃO QUERO MAIS?

                 8. Tens 2 opções: vender ou dar. Caso esteja em bom estado e que aches que valha a pena, mete à venda! Há várias aplicações que te permite vender quaisquer produtos, além de roupa ou maquilhagem. Podes também dar se for algo que não aches que valha a pena vender, no sentido que não teriam interesse em comprar por ser algo "banal" que dá para comprar em qualquer sítio. Esses produtos podes até dar a família se eles aceitarem, ou doar a instituições ou meter nos contentores que estão espalhados na rua. 

                 Como é óbvio, o meu quarto não está assim 100% estético, nem parece bonitinho como mostram nas fotografias, mas estes passos realmente ajudam a perceber o que quero ter e o que realmente uso de forma a não guardar tanta coisa que talvez outros precisem. Ao fazer tantas vezes estas limpezas, também comecei a ganhar uma consciência do que compro e do que preciso. Não vou estar a comprar um produto que tenho um parecido em casa, se não me faz falta. Vou estar a gastar dinheiro quando o posso usar para comprar algo que realmente precise.

Espero que tenham gostado. Caso tenham mais dicas ou soluções mais simples deixem nos comentários e partilhem nas redes sociais se gostaram da publicação! 
Até já,
                 Dando continuação à série que criar sobre como simplificar a tua vida em todos os aspetos, passamos agora à parte digital que envolve telemóvel e redes sociais. Eu falo por mim quando digo que o meu telemóvel só tem tralha dentro. E muita coisa precisa que guardo para não me esquecer. Ora, dessa forma, preciso de o manter sempre organizado, limpo e seguro para que consiga encontrar o que quero, quando quero.

TELEMÓVEL

FOTOGRAFIAS E VÍDEOS:

                 1. Então a primeira coisa é, tal como no computador, ver as fotografias e vídeos que ficam ou que podem ser eliminadas. Tenho um cartão de memória de 16 GB, o que ajuda a tirar fotografias continuamente sem querer saber se tenho espaço ou não. No meu caso, nunca tenho pouca memória porque, além do cartão tenho 64 GB no telemóvel em si, o que é incrível. Apesar disso, decidi que preciso de reduzir imenso o número deste tipo de ficheiros. Tiro cerca de 20 fotografias com o mesmo enquadramento, porquê ter tantas? 
                 2. Após passar as imagens todas para o cartão de memória, para me ajudar na procura de uma fotografia específica, decidi criar álbuns no telemóvel. Ajuda-me a ter uma noção básica também do que quero realmente guardar ou não. Ao contrário do que faço no computador por anos comuns, faço por tema, por exemplo: "Família", "Amigos", "Criar" para fotografias mais artísticas, etc. O que gosto do meu telemóvel é que tem a parte que dá para ver como eu preferir: as imagens/vídeos por data ou por álbuns, dando-me a opção de procura personalizada.

FICHEIROS & BLOCO DE NOTAS:

                  3. A melhor maneira de verificar todos os ficheiros que tens no telemóvel, é indo à pasta "Os Meus Ficheiros". Consegues ver desde transferências a documentos a ficheiros de instalação que possas ter. Novamente, verifica cada pasta que tenhas e apaga as coisas desnecessárias. Podes até apagar as fotografias através desta função, mas prefiro ir diretamente à galeria para visualizar melhor. Vê as Transferências, as Músicas, os Documentos e Ficheiros Instalação que são normalmente para onde vão os programas que fazes download que não são através dela Store do teu dispositivo.
                  4. Se precisas de mater esses ficheiros, cria pastas para os mesmos para melhor organização.
                  5. No Bloco de Notas, vê as notas que ainda precisas de guardar e apaga o resto. No meu caso, uso o Google Keep que me ajuda a ter acesso tanto no telemóvel como no computador, guardando automaticamente qualquer alteração que eu faça.

APLICAÇÕES:

                  6. Podes ver as aplicações através da Store do teu sistema operativo onde consegues ver as aplicações que já vinham com o telemóvel e que não aparecem na página principal. Podes usar também ir só à página principal para ver as aplicações que já vinham com o telemóvel, mas que dão para ver lá, ou ver as que tu instalaste. Novamente: apaga as que não usas há imenso tempo ou as apps que têm funções similares a outras
                  7. O meu tipo de organização é colocar as aplicações com funções similares na mesma pasta. Gosto de ter tudo na mesma página, invés de ter sempre de passar de um lado para outro para encontrar a aplicação que quero. No entanto, o meu telemóvel antigo não dava para fazer pastas e tinha de, realmente, se quisesse uma organização melhor, meter as apps em cada página. Só tens de encontrar o teu sistema de organização e ver como funciona contigo e podes sempre alterar com o tempo e criar um novo.  

 CONTACTOS:

                   8. Quem é que manteve contactos gravados só porque um dia podia precisas de ligar à prima do tia da tua amiga? É só desnecessário e ocupa espaço no telemóvel, no cartão SIM ou nos dois, dependendo de como tens programado. Apaga os contactos das pessoas com quem não falas há imenso tempo ou já nem sequer te lembras quem são porque só meteste o primeiro nome ou quem não gostas mais.

MENSAGENS:

                  9. Apaga as mensagens descontinuadas. Eu acabo por apagar todas porque raramente uso mensagens e não costuma ter nada de importante nelas. Caso tenhas uma conversação em continuação, mantém para não te esqueceres do que estavas a falar ou se tiver alguma coisa de importante nas mesmas. 

TELA INICIAL:

                 10. Mantém o mais simples possível. Só tenho as 5 aplicações que mais uso: telemóvel, mensagens, google chrome, google apps e câmara. Isto porque todas as outras encontro no menu principal então porquê colocar na tela inicial?

ANTI-VIRUS & CLEANER:

                  11. Para manter o meu telemóvel ainda mais limpo e rápido eu uso um anti-virus e um cleaner. Gosto do AVAST, que é o mesmo que uso no computador. Ele tem opções de limpeza rápida, tem dicas, consegues ver em que aplicações gastas o teu tempo diariamente, dá para ver quais são as apps mais usadas, menos usadas e as que não utilizas de todo, entre muitas outras funções incríveis! Para o efeito que quero é bem fácil de usar e rápido. 

REDES SOCIAIS

                  12. Isto é uma parte que só comecei a fazer há pouco tempo. Decidi deixar de seguir todas as pessoas/contas que me traziam negatividade no Instagram, Twitter e YouTube. Todas as pessoas que não me acrescentavam absolutamente nada: adeus. De que é que me adianta estar a seguí-las se só me fazia sentir pior? Para que é que quero estar a ver vídeos nas minhas subscrições de pessoas que já não me inspiravam como antes?
                  13. No Pinterest, por exemplo, organizar melhor os álbuns criados e retirar as imagens que já não me acrescentam. Isto é mais uma escolha pessoal porque tenho vários álbuns criados que já acabei por misturar demasiado os pins, não conseguindo encontrar o que queria. 
                  14. No Facebook, toda gente que conheço de vista ou é primo da minha prima e eu não falo: adeus. Esta rede social é aquela que mais expõe a tua vida e serve exatamente para isso, e não quero estar a fazê-lo para pessoas que não conheço. 

                  Certamente as dicas que eu dou não são as mais revolucionárias do mundo, mas acho que ajudam mesmo a simplificar um pouco a vida. Há coisas que até podem parecer básicas, mas acabam por esquecer.

                  Caso tenhas dicas extras, podes partilhar nos comentários abaixo! Se gostaste do artigo, partilhas nas redes sociais e identifica-me. Espero que tenham gostado!

Até já, 

                 Decidi começar uma série de organização e limpeza aqui no blog. É um tema que tenho pesquisado e que gosto muito de ver. Procuro sempre novas formas de manter-me organizada e de criar um espaço mais limpo para que consiga trabalhar sem pensar em coisas aleatórias. Esta série vai tocar em tudo, desde espaço físico até as coisas que te vai na mente: como podes limpar e organizar toda a tua vida para iniciar 2020 com um espaço e uma mente livre de coisas desnecessárias. 
                  Durante este mês, dezembro, é quando me vou focar mais em trazer conteúdo deste. Ainda assim, vai ser uma série de artigos que vou tentar atualizar sempre que posso e sempre com coisas atualizadas, testando métodos ou pequenos truques para simplificar o dia-a-dia.
                  Um dos espaços que me deixa mais a desejar porque é basicamente uma ferramenta de trabalho é o computador. Todos os meus projetos, os meus trabalhos, coisas de escola, memórias, músicas, ficheiros importantes, está tudo aqui. Então convém que eu tenha um sistema fácil de organização e que me permita encontrar o que preciso, quando preciso. 

COISAS BÁSICAS:

1. Limpar o desktop. 

                 É importante tentar deixar sempre o desktop vazio e limpo, já que é uma das razões pela qual o computador fica mais lento e dá um aspeto muito desorganizado. Vê quais são os ficheiros que fazem falta, os que não fazem vão diretamente para a Reciclagem. Aqueles que não deves apagar, envia-os já para a pasta de Documentos.

2. Limpar as Transferências.

                 Esta pasta é a que fica mais desorganizada mais rapidamente. Qualquer transferência feita (caso não tenhas alterado as definições) vai parar ali e facilmente fica cheia de ficheiros desnecessários. Como é o procedimento normal, apaga as coisas desnecessárias e o que é preciso guardar, envia diretamente para os Documentos.

3. Desinstala programas que não usas.

                 Uma das grandes razões de os computadores ficarem lentos, além de ter imensas fotografias e vídeos, é o facto de ter programas instalados, por vezes programas bem pesados, que já nem sequer usamos mais. É tal e qual como as aplicações no telemóvel, em que temos aquele joguinho porque podemos vir a precisar de matar tempo um dia. Apaga. Se não utilizaste nos últimos 5 meses, não vais precisar tão rapidamente. Caso venhas a precisar, voltas a instalar. Não adianta estar ocupar espaço e a pesquisar atualizações sozinho, se não usas o programa.
Falo no caso do meu computador, há coisas que já vinham instaladas e que não quero desinstalar porque tenho medo de causar problemas, então deixo estar. No entanto, há programas que tenho instalados que foi por minha causa, então faço um scan daquilo que já não preciso e apago.

FICHEIROS:

                 4. Vamos agora à pasta de Documentos e ver tudo o que está lá. Novamente, o que não é necessário é para apagar, o que é necessário fica.
                 5. Ao ver os ficheiros que ficaram, cria um sistema de organização adequado a ti e às tuas necessidades, que seja simples e rápido de chegar lá. Coloca nomes específicos e percetíveis nas pastas, de maneira que consigas perceber o que tem dentro.
                 6. Passa os documentos para as pastas novas que criaste ou as que já tinhas. Não te esqueças de ser bastante seletivo no que deve ficar ou não. No meu caso, até adiciono um ícone diferente só para meter a pasta mais bonitinha e conseguir identificar só de ver as imagens. É uma parolice minha.


FOTOGRAFIAS: 

                 6. Vê as fotografias que queres manter, apaga as desnecessárias ou repetidas. Se tens fotos de grupo ou mesmo fotos tuas que são várias na mesma pose ou com o mesmo enquadramento, fica com a melhor e apaga o resto. 
                 7. Eu acho preferível organizar por ano. Criei pastas para todos os anos desde que tenho fotos. A partir daí, coloco as fotografias nos respetivos anos e, caso algumas delas sejam mais específicas como aniversários, festas, viagens, etc, crio uma pasta com um nome alusivo a essas fotografias e coloco-as lá.

MÚSICA:

                 8. Eu uso mais o Spotify agora, ainda assim, quando faço download de músicas para colocar na pen do carro, guardo as músicas por ordem alfabética e tem resultado para mim. Quando tenho muitas músicas do mesmo artista, coloco mesmo o nome dele numa pasta e as músicas dentro.

ATUALIZAÇÕES:

                 9. Uma coisa que acho que é importante e muita gente se esquece é que, caso não atualizem os programas que têm, as versões anteriores acabam por ficar com erros, parar e deixar de funcionar. Por isso, é sempre bom que atualizem todas os programas ou até mesmo do próprio sistema do computador que restaram na vossa lista ou que estás adiar ao tempo.

NAVEGADOR DE INTERNET:

                 10. Ver a página de Marcadores e verificar se ainda são necessários os guardados. Organiza também por pastas, sendo mais fácil procurar algum site que precises.
                  11. Eliminar a lista de transferências, já que não é necessário ter guardado o registo.
                 12. Eliminar dados de navegação (cookies, imagens e ficheiros em caché, histórico, etc) de forma a deixar o navegador mais rápido no processamento da informação. 
                 13. Vê as extensões que tens instaladas e se ainda as utilizas. Há coisas que já não fazem mais sentido na tua vida e escusam de ocupar espaço que precisas para outras coisas.

CARTÕES MEMÓRIA + PEN'S:

                 14. É basicamente fazer as coisas anteriores de verificar os ficheiros, apagar os desnecessários e criar pastas para os organizar. Caso seja necessário, enviar os mesmo para o computador para ter uma cópia a salvo.

DISCO EXTERNO:

                 15. Aqui, é exatamente o caso dos cartões de memória e das pen's, a única diferença é que os discos externos servem para fazer uma cópia da base de dados do computador inteiro. É uma forma de ter as coisas guardadas, além de poder guardar coisas mais pesadas que não sejam sempre precisas como filmes ou vídeos, ou, até mesmo, fotografias. 

                16. A minha dica final é mesmo tentar fazer isto mais vezes: organizar o desktop e as transferências semanalmente, fazer backups mensais, etc. Desta forma está tudo direitinho e guardado com a sua frequência. 

                 Só para clarificar: isto é o sistema que uso de organização, se já tens o teu, não precisas de alterar só porque eu mencionei o meu! Além disso, este artigo teve piada para mim porque estive a fazer uma limpeza geral enquanto o escrevia. Não toquei em todos os pontos porque seria muito para fazer numa só tarde, mas em breve fá-lo-ei. Espero que tenham gostado da primeira publicação da minha nova série SIMPLIFICA. Caso queiram podem partilhar nas redes sociais e deixar comentários sobre os vossos métodos de organização digital ou até de coisas que eu devia falar nesta série!


Até já,

           Para quem ainda não percebeu, mesmo após a minha intensiva publicidade, eu escrevi um livro e está publicado fisicamente. Ora, não foi de um dia para outro que ele foi escrito, visto que tem as suas 406 páginas. Demorou cerca de três anos para acabar de escrever oficialmente, mais uns três anos para ter coragem de enviar para editoras. Durante o processo de escrita, tornou-se difícil, por vezes, lembrar-me de todos os detalhes que tinha planeado ou detalho anteriormente, isto porque ia escrevendo aquilo que me lembrava ou que me vinha à cabeça, sem memorizar noutro sítio além da minha mente esquecida. Tive de voltar várias vezes atrás para reler tudo, para me tentar relembrar do que precisa.

Encontra todos os detalhes do meu livro aqui.

           Inclusive, eu tinha um caderno muito simples que comprei na Staples e dividi para conseguir adicionar detalhes importantes de todas as histórias que eu escrevia. Eu já fazia um caderno de escrita sem ter a noção disso, só que de maneira mais confusa e sem sentido. Vamos lá mergulhar no meu caderno então! Este caderno é da Primark e foi-me dado como prenda de anos. Estava reticente porque como eu ia usar canetas de gel ou sublinhadores, não sabia até que ponto é que a tinta não passava para a página seguinte e não transfere de todo!

           As primeira páginas são todas sobre a parte técnica da escrita e coisas para me ajudar a criar melhores cenas ou descrições ou personagens. Daí a primeira página ser os DOZE ARQUÉTIPOS de personagens. Ajuda a ter uma ideia melhor sobre quem são as personagens, as suas motivações, o seu "histórico", as suas fraquezas, a sua estratégia e muito mais. Obviamente, nem todas as características se encaixam perfeitamente, mas dá uma melhor percepção do que elas podem ser. Pode também ajudar a tentar perceber que tipo de personagem eu quero criar, se é um Herói em que quer provar que é alguém através dos seus atos corajosos ou se é Criador em que pretende criar coisas duradouras (seja uma realidade ou um objeto).
           As páginas a seguir já são sobre o final da obra: que TIPO DE CONCLUSÃO quero que o livro tenha, se é para Refletir ou para deixar o leitor a querer mais com o Cliff Hanger. Ajuda bastante com a explicação de cada final e o porquê de se usar.
           Estas páginas abaixo já são de um método que nunca usei, mas que gostava de o fazer. Chama-se o MÉTODO DE FLOCO DE NEVE. Muito resumidamente, é um método que ajuda a criar uma obra de início a fim, com a ajuda de pequenos indicadores e informações que vamos criando e desenvolvendo aos poucos para criar o primeiro rascunho do livro. Foi criado pelo Randy Ingermanson e tem este nome porque, como referi, começa-se por pequenos passos para levar a um projeto final amplo e quase decisivo.
           Uma coisa que é bastante importante para escritores é LINGUAGEM CORPORAL. A maneira como a personagem se encontra em cada situação é crucial para fazer o leitor entender como reage e, mesmo sem dando muito histórico no início, ajudar a perceber o porquê de reagir assim. Por exemplo, numa cena onde a filha encontra o pai que pensava estar morto. Invés de identificar quem é o indivíduo que se encontra em frente à rapariga, descrever de imediato a sua postura ajuda a criar um certo suspense e mistério.
           Passando agora para as páginas em que são específicas para histórias, vou mostrar aquilo que criei para me ajudar acompanhar cada detalhe das minhas obras para não me esquecer. Eu faço isto porque demoro sempre imenso tempo a escrever. Com EVANESCENTE demorei 2 anos e meio a escrever o livro, no meio desse tempo esquecia-me de coisas importantes e tinha de voltar a reler e a procurar o que queria. Como é óbvio, as páginas estão vazias porque não quero revelar acontecimentos futuros da obra, quero que seja surpresa.

           Uma das páginas que criei é meio que um enredo e escrever por alto o que quero que se passe e o que quero transmitir com a história. Tudo o que eu escrevo tem um propósito. Com o meu livro, o início é um pouco mal desenvolvido porque a personagem é um tanto superficial com os seus sentimentos e emoções. À medida que a história desenvolve, também as descrições começam a ficar mais extensas e a ser mais produzidas exatamente porque ela vai começar a ter uma auto-reflexão mais acrescida.
           Estas páginas são dedicadas às PERSONAGENS que eram importantes para a história, principais e secundárias, de forma a lembrar-me de detalhes físicos ou psicológicos, ou idade ou aniversários que sejam importantes, profissões e outras coisas relevantes.
           Esta página de CENÁRIOS é importante para quem escreve ficção científica ou fantasia visto que têm cenários bastante diferentes e específicos. No meu caso é só para me lembrar de onde fica o quê ou como a casa da Emma é. Recomendo imenso para quem, mesmo em ficção normal, tenha cenários importantes que tenham características distintas.

           Duas páginas exclusivamente para IDEIAS que quero CONCRETIZAR DENTRO DA NARRATIVA são essenciais para mim para conseguir juntar tudo num sítio. Dá imenso jeito se tiveres muitas pontas soltas que queres conectar ou coisas que queres lembrar que tens de fazer, mas ainda estás bem no princípio dos princípios do desenvolvimento. Vou migrar as ideias do meu Bullet Journal para aqui e acreditem, devia ter posto mais do que 2 páginas só!
           A CRONOLOGIA é tão importante para te situares nos eventos que se passaram. Mortes, aniversários, começos de namoros, mudanças importantes na história! Novamente, em casos de ficção científica ou fantasia, é útil para sinalizar, usando o exemplo de Divergente, a ocorrência de há quanto tempo existe aquela sociedade fechada e dividida em fracções.
           A partir daqui já são todos os OUTROS DETALHES QUE SÃO EXCLUSIVOS DA OBRA. Feitiços de magia, lendas, projetos das personagens. No meu caso, pus o Livro da Emma porque ela vira escritora na sequela e o livro virou filme, preciso de saber o que se passa no livro para poder escrever sobre as filmagens e as cenas que são gravadas. Aqui já dá para explorar e criar algo com detalhes mais extensos. Podes acrescentar a pesquisa que tiveste de fazer antes ou depois de tudo o que eu falei para não te esqueceres do que procuraste! Eu tive de o fazer quando andei à procura de coisas sobre cancro ou amnésia!

           Esta é a maneira como criei o meu caderno de escrita para me ajudar a lembrar os pormenores das histórias que crio. Além de ADJACENTE, que é a sequela do meu primeiro livro, estou constantemente a ter ideias para outras histórias e torna-se difícil lembrar quais são os detalhes de cada uma. Isto ajuda-me a manter-me no topo do meu jogo e a não misturar as coisas.
Caso faças um, por favor mostra-me! Adoro ver coisas relacionadas com papelaria e criatividade, não me perguntem porquê, apenas adoro.

Até já,