◍ bordeaux, luxo visto como normal.

Era suposto fazer a rubrica 168h em fotografia mas achei um pouco desnecessário visto que no final da semana foi basicamente fazer compras e ficar em casa no quentinho. Assim, decidi fazer um post separado sobre os sítios que visitei em Bordeaux, os monumentos, um pequeno diário sobre a minha estadia lá. Irei, também, adicionar fotos ao Instagram que não estarão aqui por isso não te esqueças de ver: @personificar. Cheguei por perto das 2h da tarde do dia 18 de novembro e parti às 2h15 do dia 25. Aviso: é tudo lindo.
A parte de tarde de domingo foi reservada a visitar o centro da cidade, passando por certos pontos chaves. Primeiro passamos na Porte d'Aquitaine. É notório uma grande quantidade de arcos parecidos com estes em Bordeaux. Começamos por seguir a Rue Sainte-Catherine. Pelo meio da rua tem imensas lojas, incluindo uma pequena rua que vai dar a outra zona de restaurantes e lojas:
Ao fim de sair dessa zona, continuamos a percorrer as ruazinhas da cidade. Duas coisas que achei muito característico de Bordeaux (e que me faz lembrar de França em geral) são os telhados azuis e as paredes num tom beje - o estilo haussmann.
Eu sentia-me bastante descontraída a ver as ruas e as pessoas, tanto que acabava por me esquecer que estava num país diferente, numa cidade diferente e que, se me perdesse, não saberia como falar com as pessoas porque não sei falar francês. Não sei se foi por estar com gente que conhecia e gostava, mas Bordeaux trouxe-me uma sensação de casa, de bem-estar. Além de que toda a cidade transpirava uma toque de luxuria, beleza e um cheirinho de Harry Potter - juro que havia certas zonas que eu sentia que estava num filme da saga visto que era um bocado sombrio e melancólico. 
Este é o Grand Théâtre de Bordeaux. É um lugar onde os universitários e mais novos costumam ir para se sentarem nas escadas a estudar ou a conviver. A seguir fomos para uma zona chamada Place des Quinconces, onde é costume haver feiras por aquela zona. 
 
Monument aux Girondins é uma coluna enorme de 54 metros de altura. Enquanto passávamos lá, estava esta menina a desenhar o que estava a ver. Não resistir tirar uma foto porque eu adoro observar as pessoas. (Quando fui a Sevilha tirei uma foto a um casal que estava perto do rio. Eles estavam apenas a falar mas eu achei fofo. E, agora que reparo, sinto-me bastante assustadora.
Passamos ainda por duas outras colunas de 21 metros cada uma (só tirei foto a uma porque sou totó). Elas encontram-se de frente ao rio Garone. Numa coluna tem a estátua de Diana, a Deusa da Caça, para simbolizar a Navegação, noutra tem Mercúrio, Deus do Comércio, para simbolizar o comércio, como é óbvio. São chamadas de Colonnes Rostrales, apesar de não ter um nome concreto (que eu tenha encontrado). 
Este parque percorre um dos lados do rio por completo, ficando entre uma zona de restauração e a Pont de Pierre. Estava cheio de pessoas a conviverem, o que me deixou muito entusiasmada e feliz. 
Antes de vir, pesquisei um pouco sobre a cidade e encontrei dois marcos chamados Espelho de Água e o Palácio da Bolsa. Então estava entusiasmada por ir lá visto que as fotos que encontrava no Google eram lindas! A camará do meu telemóvel não fez justiça à beleza de Bordeaux de todo, mas a minha memória lembra-se da beleza. 
Fiquei um tanto apaixonada pela Porte Caihau. Parece um mini-castelo e os seus detalhes são, sem dúvida, adoráveis e mágicos. A era medieval é uma das minhas favoritas e adoro ver edificíos deste género.
Esta fotografia é de uma mini-maquete de uma parte da cidade. Aquele edifício pontiagudo com o telhado meio torto é a Porte Caihau.



O meu namorado prometeu levar-me à noite ver a zona do centro novamente, afirmando que era muito mais bonito de noite. Não posso mentir, ele tinha toda a razão. A cidade iluminada consegue ter ainda mais charme do que durante o dia, a sua beleza natural destacada com as luzes. 

Na segunda feira, eu e a Ângela fomos explorar novamente a cidade. Fomos de metro até ao centro - e deixem-me que vos diga que andar de metro é ótimo! Tão confortável e silencioso, eu adormecia quase sempre. Voltamos a percorrer a Rua de Santa Catarina, subindo-a novamente para comer.  
Depois fomos por entre as ruas, encontrando a Basilique Saint Michel. É mesmo bonita e detalhada, dando-me as vibrações de Harry Potter novamente. A seguir encontramos a Catedral de Saint-André, semelhante à Basilica com os detalhes.
Caminhamos imenso até encontrar o Jardim Público de Bordeaux. Aquilo é tão lindo, meu deus! É enorme e tem uma zona onde parece um muro enorme, com trepadeiras penduradas e aparenta ter saído do jogo da Lara Croft. Eu talvez tenha feito piada sobre isso no instastorie. Só talvez.
Cá fora tinha imensas fotografias em exposição nas grades, deixando-me feliz porque FOTOGRAFIA É VIDA!
Voltamos novamente para o centro, desta vez indo para o museu La Cité du Vin. Não chegamos a entrar, mas só o exterior é extraordinário. O próprio edifício semelha-se a um decantador do vinho. 
Dirigimo-nos mais para trás, onde subimos a ponte elevatória. Eu juro que pensava que era daquelas pontes que se abre a meio - afinal, a parte entre as 4 torres sobre para cima. Tentamos passar a ponte para o outro lado só que eu parei para tirar uma fotografia à paisagem e senti a ponte a tremer. O meu medo irracional obrigou-me a descer imediatamente para terra firme. No entanto, a fotografia não está mal de todo.
Na terça feira, fomos a uma praia artificial de Bordeaux, Bègles Plage. Como sou totó, decidi chamar-lhe praia dos beagles. 
Não vamos esquecer que fiz uma amiguinha lá. Não sei o nome dela porque é meio francês, mas sei que a deixei no carro do meu namorado - ou espero eu que ainda esteja lá.
Os restantes dias foram basicamente ir para o centro para ver mais lojas ou aos shopings. Andamos mais uma vez de metro (Braga, preciso de metro, está bem?). Descobri que do jardim da casa do meu namorado dá para ver uma casa fofinha.
Comprei daquelas famosas bengalas pretas e vermelhas que se vê nos filmes e já percebo o entusiasmo à volta destes doces - SÃO TÃO BONS! Fizemos panquecas e mac&cheese. Embrulhei as prendinhas de Natal que comprei lá com o embrulho fofo e as washi tapes lindas. Abracei e dei muitos beijinhos ao meu namorado. Fiquei confusa e perdida quando falavam francês e a Ângela ou o Bé percebiam o que eles diziam. Gostei bastante de uns desenhos animados que dão lá, mesmo não percebendo nada. Enfim, uma semana que me soube pela vida. 
É um até já, Bordeaux! Espero ver-te em breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta a tua opinião ou algo que gostarias de me dizer!

NÃO SE ESQUEÇAM DE PARTILHAR O POST COM OS VOSSOS AMIGOS/FAMILIARES E COMENTAREM SE GOSTAM E/OU COM IDEIAS PARA COISAS QUE GOSTAVAM DE VER. OBRIGADA POR LEREM!




WOOK - www.wook.pt