☂ o artigo 11 e o artigo 13 - o que significa?

              Vamos pensar no seguinte: estás a tentar fazer um trabalho sobre o ADN do pombo do Sul de França e querias meter uma imagem no trabalho para dar um ar menos pesado a todo o texto e para dar um exemplo visual, também. O que significa se o artigo 13 acabar por ser aplicado totalmente? Não vais poder porque não vai haver imagens. 
              O que são exatamente estes artigos? O artigo 11: qualquer partilha pelos agregadores de notícias de uma notícia tem de pagar ao autor da notícia para o fazer. O artigo 13: aplicar filtros de upload nas plataformas para avaliarem o conteúdo antes de ser lançado, supostamente para proteger os direitos de autor. Claramente, as plataformas não têm possibilidades de controlar TODO o conteúdo que é colocado online sendo que iriam proibir todo e qualquer vídeo, imagem ou audio que tenha algo que seja sujeito a direitos de autor, independentemente do contexto. Isto parece decente, certo? Como é obvio, ninguém se oporia a uma lei que protege os teus direitos como criador de algo. Exceto, neste caso, da maneira como o artigo está escrito neste momento.
              Tirar uma fotografia com os amigos e aparecer um logótipo de uma empresa - a empresa pode processar o site onde colocaste a foto. Aquele jovem que canta maravilhosamente as músicas de outros artistas vai deixar de o poder fazer. Não será mais possível continuar a publicitar, positiva ou negativamente, marcas porque elas podem processar. Usar uma foto para dar um exemplo de algo - vai deixar de existir essa possibilidade. Publicar uma foto de um filme, série, outra coisa qualquer, numa rede social será proibido ou nem sequer possível, caso os CEO's das plataformas decidam retirarem-se da Europa.
             A base toda da internet é como se fosse um jarro de ideias que vais metendo coisas novas dentro, estão a ver? O conteúdo produzido tem sempre base num outro conteúdo visto, inspirando-se noutro conteúdo, ou seja, há sempre algo a mais por cima da criação original. Obviamente, depende sempre até que ponto se inspiram noutras pessoas - caso seja a 100%, isso é plágio. Tendo como exemplo o  Harlem Shake, é plágio ou é um desafio divertido e criativo? Porque o que este artigo vai fazer é vários conteúdos como o Harlem Shake serem bloqueados. 
                Estou constantemente e ver as pessoas a falarem que os youtubers vão ficar sem emprego e que estão aflitos por causa da lei - como é óbvio e normalíssimo. Como acham que os jornalistas e as televisões estariam se não pudessem mais transmitir a sua informação? Acham que ficavam felizes?  Aliás, não se trata só de youtubers - todas as redes sociais e Internet irá sofrer. Somos capazes de sofrer mais nós - consumidores de conteúdo - do que eles. 
               O Google, o Facebook, o Twitter, o Pinterest, o Tumblr e muitas outras plataformas online vão deixar de existir porque não vão querer levar com processos constantes de empresas que irão querer os seus "direitos de autor" reconhecidos. O pior de tudo é que não são os direitos de autor que estão a proteger porque muitas das plataformas já estão a proteger o conteúdo dos outros, o Youtube inclusive que é o que vai ser mais afetado. Ele tem o Content ID que faz com que todo e qualquer produto que seja utilizado num vídeo alheio seja enviado as receitas provenientes para o autor do produto. Vídeos, podcasts, imagens, notícias, tudo será censurado independentemente das situações. Aliás, eles já afirmaram que se os artigos começarem a ser aplicados que eles vão desligar os sites/aplicações na Europa. 
                Se o próprio criador do World Wide Web, ou seja, o criador da INTERNET, é contra o artigo 13 e afirma que vai contra tudo aquilo que esta invenção defende, vocês sabem que algo está muito errado. O pior de tudo é que as leis só afetam o digital, porquê? Parece tudo claro quando se vê que os media tradicionais se esforçam todos os dias para tentar chamar atenção dos jovens porque sabem que o seu conteúdo deixou de ter sucesso como antigamente - tanto que eles próprios já passaram para o digital. 
             O que me revolta ainda mais é o facto de que são sempre os adultos que não têm noção daquilo que estão a fazer que tomam decisões pelos mais novos, como se soubessem o que é melhor. Os jovens é que estão a ser afetados pelas ações que os "adultos" tomam sem sequer tomarem em consideração a nossa opinião. Vejam a demografia dos senhores deputados e vejam se sabem para que serve a internet. Sem ela não havia Justin Bieber, Felipe Neto, Inês Rocinha, Wuant, A Pipoca Mais Doce, A Maria Vaidosa, Rupi Kuir, Lilly Syngh. Todos os criadores de conteúdo que agora vocês gostam e se revêm neles não existiriam. Conseguem imaginar isso? A Internet possibilitou o ascender de novas estrelas e de outro tipo de empreendedores, algo que não se via antes ou que nem se imaginava ser possível.
               A lei já foi aprovada, os países vão agora reunirem-se internamente para resolverem como irão aplicar os artigos. Dizem que a lei ainda vai sofrer alterações até janeiro de 2019 e que o Parlamento Europeu ouviu as preocupações das pessoas, será que sim? Expliquem-me porque é que fazem uma lei sem consultar os próprios criadores de conteúdo para chegarem a um consenso benéfico para todos? Quando criam leis médicas chamam médicos e, neste caso, não chamaram youtubers e pessoas que trabalham com as redes sociais porquê? O trabalho deles nunca foi reconhecido porque não o consideram um trabalho fidedigno. Acho completamente estúpido quando se sabe perfeitamente que os empregos estão a evoluir, da mesma maneira que a tecnologia está, e não é considerado um trabalho como outro qualquer. Isto não é uma especulação, é a realidade: a partir do momento em que vejo comentários como "Os youtubers vão finalmente saber o que é ter um trabalho porque vão ter de ir lavar escadas." isso é apenas ridículo, além de estar a igualar lavar escadas a algo mau quando, novamente, é um trabalho como outro qualquer. 
              Jornais e sites de notícias da televisão estão a usar o vídeo do Wuant para o denegrir e dizerem que ele está a exagerar e a usar o vídeo dele e tweets dele: estou à espera que dêem o dinheiro que estão a receber do vosso "artigo" a ele já que estão a usar conteúdo dele. E não esqueçamos quando um canal da televisão portuguesa fez uma reportagem sobre YOUTUBERS e a difamar o trabalho deles - chegaram a dar as receitas que obtiveram a eles como o Youtube faz ou nem por isso?
               Acho que nada mais tenho acrescentar, a não ser para pedir aos deputados da União Europeia que pensem um bocado no bem que a Internet como a conhecemos agora trouxe. Falem com pessoas que realmente percebem do problema e que trabalham na área diariamente, comuniquem quais serão as consequências positivas ou negativas que os artigos vão ter, respondam às perguntas que são colocadas e ajudem-nos a compreender o vosso ponto de vista e peço, do fundo do coração, que compreendam o nosso ponto de vista também.
                Deixo-vos aqui um vídeo da Bumba na Fofinha que, honestamente, foi um dos melhores que vi sobre este assunto e que faz questões muito pertinentes sobre o assunto.
Como sempre, deixem a vossa opinião nos comentários e podem deixar também ideias para novos posts. Podem seguir-me no twitter e no instagram e carregar no "seguir" ali do lado para receberem notificação de quando publico. Partilha o post se gostaste e não te esqueças de me identificar se o fizeres!
Obrigada por continuarem até aqui,
Até já, Rainers!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta a tua opinião ou algo que gostarias de me dizer!

NÃO SE ESQUEÇAM DE PARTILHAR O POST COM OS VOSSOS AMIGOS/FAMILIARES E COMENTAREM SE GOSTAM E/OU COM IDEIAS PARA COISAS QUE GOSTAVAM DE VER. OBRIGADA POR LEREM!




WOOK - www.wook.pt