☂ o meu caderno de escrita.

           Para quem ainda não percebeu, mesmo após a minha intensiva publicidade, eu escrevi um livro e está publicado fisicamente. Ora, não foi de um dia para outro que ele foi escrito, visto que tem as suas 406 páginas. Demorou cerca de três anos para acabar de escrever oficialmente, mais uns três anos para ter coragem de enviar para editoras. Durante o processo de escrita, tornou-se difícil, por vezes, lembrar-me de todos os detalhes que tinha planeado ou detalho anteriormente, isto porque ia escrevendo aquilo que me lembrava ou que me vinha à cabeça, sem memorizar noutro sítio além da minha mente esquecida. Tive de voltar várias vezes atrás para reler tudo, para me tentar relembrar do que precisa.

Encontra todos os detalhes do meu livro aqui.

           Inclusive, eu tinha um caderno muito simples que comprei na Staples e dividi para conseguir adicionar detalhes importantes de todas as histórias que eu escrevia. Eu já fazia um caderno de escrita sem ter a noção disso, só que de maneira mais confusa e sem sentido. Vamos lá mergulhar no meu caderno então! Este caderno é da Primark e foi-me dado como prenda de anos. Estava reticente porque como eu ia usar canetas de gel ou sublinhadores, não sabia até que ponto é que a tinta não passava para a página seguinte e não transfere de todo!

           As primeira páginas são todas sobre a parte técnica da escrita e coisas para me ajudar a criar melhores cenas ou descrições ou personagens. Daí a primeira página ser os DOZE ARQUÉTIPOS de personagens. Ajuda a ter uma ideia melhor sobre quem são as personagens, as suas motivações, o seu "histórico", as suas fraquezas, a sua estratégia e muito mais. Obviamente, nem todas as características se encaixam perfeitamente, mas dá uma melhor percepção do que elas podem ser. Pode também ajudar a tentar perceber que tipo de personagem eu quero criar, se é um Herói em que quer provar que é alguém através dos seus atos corajosos ou se é Criador em que pretende criar coisas duradouras (seja uma realidade ou um objeto).
           As páginas a seguir já são sobre o final da obra: que TIPO DE CONCLUSÃO quero que o livro tenha, se é para Refletir ou para deixar o leitor a querer mais com o Cliff Hanger. Ajuda bastante com a explicação de cada final e o porquê de se usar.
           Estas páginas abaixo já são de um método que nunca usei, mas que gostava de o fazer. Chama-se o MÉTODO DE FLOCO DE NEVE. Muito resumidamente, é um método que ajuda a criar uma obra de início a fim, com a ajuda de pequenos indicadores e informações que vamos criando e desenvolvendo aos poucos para criar o primeiro rascunho do livro. Foi criado pelo Randy Ingermanson e tem este nome porque, como referi, começa-se por pequenos passos para levar a um projeto final amplo e quase decisivo.
           Uma coisa que é bastante importante para escritores é LINGUAGEM CORPORAL. A maneira como a personagem se encontra em cada situação é crucial para fazer o leitor entender como reage e, mesmo sem dando muito histórico no início, ajudar a perceber o porquê de reagir assim. Por exemplo, numa cena onde a filha encontra o pai que pensava estar morto. Invés de identificar quem é o indivíduo que se encontra em frente à rapariga, descrever de imediato a sua postura ajuda a criar um certo suspense e mistério.
           Passando agora para as páginas em que são específicas para histórias, vou mostrar aquilo que criei para me ajudar acompanhar cada detalhe das minhas obras para não me esquecer. Eu faço isto porque demoro sempre imenso tempo a escrever. Com EVANESCENTE demorei 2 anos e meio a escrever o livro, no meio desse tempo esquecia-me de coisas importantes e tinha de voltar a reler e a procurar o que queria. Como é óbvio, as páginas estão vazias porque não quero revelar acontecimentos futuros da obra, quero que seja surpresa.

           Uma das páginas que criei é meio que um enredo e escrever por alto o que quero que se passe e o que quero transmitir com a história. Tudo o que eu escrevo tem um propósito. Com o meu livro, o início é um pouco mal desenvolvido porque a personagem é um tanto superficial com os seus sentimentos e emoções. À medida que a história desenvolve, também as descrições começam a ficar mais extensas e a ser mais produzidas exatamente porque ela vai começar a ter uma auto-reflexão mais acrescida.
           Estas páginas são dedicadas às PERSONAGENS que eram importantes para a história, principais e secundárias, de forma a lembrar-me de detalhes físicos ou psicológicos, ou idade ou aniversários que sejam importantes, profissões e outras coisas relevantes.
           Esta página de CENÁRIOS é importante para quem escreve ficção científica ou fantasia visto que têm cenários bastante diferentes e específicos. No meu caso é só para me lembrar de onde fica o quê ou como a casa da Emma é. Recomendo imenso para quem, mesmo em ficção normal, tenha cenários importantes que tenham características distintas.

           Duas páginas exclusivamente para IDEIAS que quero CONCRETIZAR DENTRO DA NARRATIVA são essenciais para mim para conseguir juntar tudo num sítio. Dá imenso jeito se tiveres muitas pontas soltas que queres conectar ou coisas que queres lembrar que tens de fazer, mas ainda estás bem no princípio dos princípios do desenvolvimento. Vou migrar as ideias do meu Bullet Journal para aqui e acreditem, devia ter posto mais do que 2 páginas só!
           A CRONOLOGIA é tão importante para te situares nos eventos que se passaram. Mortes, aniversários, começos de namoros, mudanças importantes na história! Novamente, em casos de ficção científica ou fantasia, é útil para sinalizar, usando o exemplo de Divergente, a ocorrência de há quanto tempo existe aquela sociedade fechada e dividida em fracções.
           A partir daqui já são todos os OUTROS DETALHES QUE SÃO EXCLUSIVOS DA OBRA. Feitiços de magia, lendas, projetos das personagens. No meu caso, pus o Livro da Emma porque ela vira escritora na sequela e o livro virou filme, preciso de saber o que se passa no livro para poder escrever sobre as filmagens e as cenas que são gravadas. Aqui já dá para explorar e criar algo com detalhes mais extensos. Podes acrescentar a pesquisa que tiveste de fazer antes ou depois de tudo o que eu falei para não te esqueceres do que procuraste! Eu tive de o fazer quando andei à procura de coisas sobre cancro ou amnésia!

           Esta é a maneira como criei o meu caderno de escrita para me ajudar a lembrar os pormenores das histórias que crio. Além de ADJACENTE, que é a sequela do meu primeiro livro, estou constantemente a ter ideias para outras histórias e torna-se difícil lembrar quais são os detalhes de cada uma. Isto ajuda-me a manter-me no topo do meu jogo e a não misturar as coisas.
Caso faças um, por favor mostra-me! Adoro ver coisas relacionadas com papelaria e criatividade, não me perguntem porquê, apenas adoro.

Até já,

2 comentários:

  1. Então eu ando a ver videos nonstop de youtubers a fazer bullet journals (quem diria que é tão viciante) e tu vens aqui pôr-me um bichinho de fazer um caderno de escrita T_T já tive um, mas eventualmente perdi a paciente (por não ser tão organizado quanto este)
    »» sinceramente, acho que vou seguir algumas coisas que aqui estão
    O teu está lindooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLÁ! OBRIGADA PELO COMENTÁRIO!!
      Eu também perco a paciência algumas vezes ao fazer o bullet journal sabes? Não é o facto de manteres a beleza, mas conseguires organizar-te através dele! Muitas das vezes só ponho a data do dia e uma lisa daquilo que tenho de fazer naquele dia. O mesmo com o caderno de escrita! Eu só o fiz bonitinho porque me dá motivação para escrever, mas aposto que vai haver dias que vou escrever as ideias num post-it invés de colocar no caderno, é só mesmo uma maneira de me organizar e perceber o que quero fazer e como!
      Obrigada linda! sério! Espero que faças e depois mostra-me, por favor <3
      BEIJINHOS,
      até já <3

      Excluir

Comenta a tua opinião ou algo que gostarias de me dizer!